quarta-feira, 7 de julho de 2010

<=~3


Há um bocado de vontade sedimentada aqui - muito dela já se faz satisfeita (mas não extinta) somente pela sua existência. Não que ela seja só, pois só não é: é o que se imagina "ah, como seria bom alguém assim" mas não se tem fé suficiente - até que vem alguém e diz: tenha fé maior porque esse alguém existe.
A sua existência é própria e grande e linda e colorida e mil outras coisas que, no ser e no entender dessa vontade que não se satisfaz, é suficiente para uma felicidade constante e, afirma-se, uma felicidade eterna, contemplada a cada momento presente - o agora, o que se vive hoje, o que se sente assim também.
É uma existência suficiente e, ao mesmo tempo, que excede qualquer pretensão de ideal, pois não se espera o ideal - espera-se alguém parecido... alguém igual a você. Não se espera(va) alguém, enfim: esperava-se você.

4 comentários:

  1. Por isso andamos com espelhinhos na bolsa!
    ;)
    Beijos, linda!

    ResponderExcluir
  2. ...
    nhmmm...
    entendi.

    mas eu não me referia a mim; referir-me-ia a outra pessoa :)

    ResponderExcluir
  3. A Grazy inspirada ninguém segura! Tu é fod* amiga!!

    ResponderExcluir